Tendência: você sabe o que é “strobing”?

Há algumas semanas, o termo “strobing” começou a pipocar nos sites, blogs e revistas de beleza. E adivinhe: não é nada novo. Apenas deram um novo nome à boa e velha técnica de iluminação de alguns pontos onde a luz naturalmente toca o rosto.

Blog Valeu a Compra - strobing

É o fim da técnica de contorno e realce? Pode ser, o que eu acho bom porque particularmente não curto esse lance de contorno a la Kim Kardashian. Até acho que em algumas ocasiões esta técnica pode ser bacana. Uma festa de casamento, uma formatura, iluminação suave e difusa… Mas muita gente adotou isso como maquiagem do dia-a-dia, e às vezes literalmente à luz do dia. Desnecessário.

Seria a técnica de contorno e realce sem o contorno? Algo tipo “um x-salada sem salada”? Talvez, numa definição muito simplificada. Mas, apesar do conceito ser simples, a prática pode não ser tão simples assim. O strobing resulta em uma maquiagem de aspecto bem mais natural e, por isso, presta uma atenção redobrada à preparação da pele. Seria algo como: “olha como minha pele é jovem e hidratada e tão bem cuidada que já é ‘naturalmente’ radiante”.

Na Coreia do Sul, no entanto, favorecer o aspecto radiante da pele não é uma novidade. É algo antigo e tão importante às coreanas que lá, há tempos, já existem hidratantes e primers e BB creams, bases cushion, pó e todo tipo de produto que você imaginar que garanta um pouco de glow ao rosto. Tem até um creminho para ser misturado à base ou BB cream e adicionar essa característica, o Nymph Aura Volumer da Etude House.

Já o ocidente é bem esquisito – e confuso. Porque houve um tempo em que até mesmo o aspecto radiante natural de uma pele jovem bem cuidada foi condenado. Chegou ao absurdo disso virar sinônimo de pele oleosa e foi então que o mercado lançou uma enxurrada de produtos sem óleo ou para combater a oleosidade (ou as duas coisas) e maquiagens de efeito mate. Acabou-se todo o brilho.

Depois, sentindo falta desse brilho, passaram a lançar uma enxurrada de iluminadores. Ou seja: primeiro você tira todo o aspecto radiante natural da sua pele, cobre tudo isso com maquiagens opacas de efeito mate, e finalmente você cria o brilho artificial.

Então perceberam que todo este universo de produtos antioleosidade estava ressecando as peles. E reintroduziram os óleos. Já perceberam que hoje há óleo para tudo? Não é só mais para o cabelo. São gotinhas de óleo para o rosto, óleo de toque seco que mesmo a pele oleosa pode usar, óleo de múltiplo uso, óleo rejuvenescedor com vitamina C, hidratante labial em óleo… Vai entender. Mas vamos voltar ao assunto principal deste post.

Como conseguir o strobing?

Antes de começar, revise os produtos que você já utiliza e afaste todos aqueles que possuem alguma forma de acabamento mate ou aveludado. Começar com um produto assim é começar errado.

E quanto falo em glow, aspecto radiante da pele, iluminador, etc. não estou falando daqueles cremes cujo brilho tem um aspecto de partícula, como glitter. Guarde estes para o carnaval.

1. Hidrate

A técnica requer uma pele bem cuidada e o principal segredo de uma pele bem cuidada é a hidratação. Assim, escolha um hidratante de acordo com o seu tipo de pele e use-o religiosamente. Se ele já tiver a característica de oferecer ou realçar o aspecto radiante, melhor. Recomendo: Phyto White Glow Essence da coreana Beyond.

Em seguida, aplique algum produto que ajude a uniformizar a tonalidade da pele mas que seja leve. Uma base talvez não seja a melhor escolha. Um BB cream é uma boa opção. Se for coreano ou japonês, melhor, já que os BBs ocidentais são muito parecidos com uma base. Confira este post para saber a diferença. Recomendo o Precious Mineral Any Cushion Pearl Aura da Etude House.

2. Saiba escolher o iluminador

Escolha um iluminador de acordo com o seu tom de pele. Lembre-se: o resultado deve ser sutil, e não um revival dos anos 90. Gosto muito do High Beam da Benefit e de seu “colega”, muito parecido, o Crystal Light da coreana Tony Moly na cor Gold Beam.

Update: testei o Secret Beam da Etude House na versão Pink & White e super recomendo! O pó é finíssimo, o que garante um acabamento acetinado, iluminado e suave, não tem como errar. Disponível no testerkorea.com por um pouquinho mais de 6 dólares (os preços estão em won coreano mas o carrinho é convertido para dólares).

Blog Valeu a Compra - Etude House Secret Beam

3. Aplique o iluminador nos pontos certos

Aplique o iluminador somente nos pontos onde a luz naturalmente toca o rosto. Não é nada muito diferente do que você provavelmente já fazia quando usava a técnica de contorno.

 

4. Suavize

O resultado tem de ser sutil. Após aplicar o iluminador, espalhe bem com os dedos, pincel ou uma esponja para garantir um aspecto suave.

É isso! Quem vai tentar? Comente! ;)

Van

Este post não é publieditorial.

BB cream, CC cream, cushion foundation e a influência da cosmética coreana no ocidente

BB, CC, DD… São tantas letrinhas e termos estranhos como “cushion foundation” estampando as embalagens dos cosméticos… Mas você sabe o que são cada um destes produtos e como surgiram? Olhar para a necessidade que fez um produto de beleza ser criado pode ajudar você a escolher o melhor produto para sua pele.

O termo BB cream, sigla para blemish balm, algo como um bálsamo para imperfeições, é um cosmético com a intenção de substituir o hidratante, o primer, a base e o protetor solar, dentre outros cremes de tratamento, em um só produto.

O que pouca gente sabe é que este tipo de cosmético não é novo. Ele foi criado nos anos 60 por uma dermatologista alemã. Sim, o BB cream nasceu na Alemanha. A Dra. Christine Schrammek desenvolveu o produto para ajudar a pele do rosto de seus pacientes se recuperar após procedimentos de peeling e cirurgias.

Mas se o mundo inteiro, hoje, usa um BB cream, é graças à Coreia do Sul. Foi na Coreia, a partir da década de 80, que o creme caiu no gosto da mulherada. E a partir dos anos 90 fez a indústria coreana de cosméticos ter um boom.

Valeu a compra - BB cream

Um dos favoritos na Coreia (e também fora dela) é o M Perfect Cover da Missha, que eu uso e aprovo

Em 2010, uma marca de cosméticos em Singapura foi a primeira a cunhar o termo CC cream. Apesar de não haver uma diferença canônica entre estes termos e o uso acabar ficando a critério de cada marca, a ideia é que o CC cream ajude a uniformizar mais a pele já que sua característica principal seria a de corrigir a tonalidade (CC é sigla para color correcting). Uma pele sensível que costuma ficar vermelhinha, por exemplo, pode se dar bem com um CC cream.

As marcas ocidentais começaram a lançar seus BB creams a partir de 2012. Para agradar o mercado da metade de cá do globo, no entanto, os produtos saíram um pouquinho diferentes dos asiáticos: são mais densos e oferecem maior cobertura, quase como uma base. Mas receberam algumas críticas por não oferecer os demais cuidados com a pele que um BB cream deve ter, como hidratação e a proteção solar alta, por exemplo, ou antioxidantes, como é comum nos BB creams japoneses.

Ainda em 2012, a Julep lançou um produto que chamou de DD cream, DD de dynamic do-all , um faz-tudo híbrido de BB e CC. O termo não pegou muito e pouco depois algumas outras marcas começaram a usar DD para daily defense em seus hidratantes mais potentes destinados às partes mais ressecadas do corpo, como os pés, por exemplo.

Quando surgir dúvida com esta sopa de letrinhas o melhor a fazer é consultar a proposta da marca fabricante.

Cushion foundation – o que é isso?

Muito burburinho rolou quando, tempinho atrás, a Lancôme lançou sua mais nova e “revolucionária” base: a Miracle Cushion, tida como o lançamento mais quente de 2015.

Valeu a compra - cushion foundation

Novidade! Será mesmo?

Trata-se de uma base fluida embebida numa almofadinha de espuma (daí o nome) presa numa embalagem típica de produtos compactados, como pó ou blush, por exemplo. Mas, como disse, o produto não é compacto, é líquido. E ele sai aos pouquinhos ao se pressionar esta “almofada” com o aplicador próprio, normalmente uma esponja firme.

Valeu a compra - cushion foundation

Olhando de perto para uma base cushion – fico me perguntando se não seria a moradia ideal de fungos e bactérias…

O que não se diz tanto por aí é que, na verdade, este “modelo” de base já existe faz um tempo dentre as marcas coreanas. Estas bases têm um pouco de BB cream porque oferecem hidratação e proteção solar, e tem uma cobertura leve, dispensando o pó, ao mesmo tempo em que oferecem alta duração: elas foram criadas para resistir ao verão coreano que é bastante quente e úmido.

Valeu a compra - cushion foundation

A Etude House tem base cushion hidratante, iluminadora, e estas da foto que são corretivas da cor

Este tipo de embalagem permite um controle maior da quantidade de produto que se tira dela e evita o desperdício. Muitas marcas coreanas oferecem, ainda, o refil da base. Você pode aproveitar o mesmo estojo quando a sua acabar e comprar outra por quase metade do preço.

E é isso! Nada se cria, mas algumas vezes a cópia vai recebendo melhorias, então é melhor aproveitarmos! ;)

Você usa um BB, CC, DD cream e está gostando ou tem algum aspecto nele que não aprecia muito? Deixe seu comentário!

Beijinhos,
Van

Este post não é um publieditorial.

Blog Valeu a Compra - Como limpar os pincéis de maquiagem

Como limpar seus pincéis de maquiagem – de acordo com a ilustre Bobbi Brown

Comecei a ler o Makeup Manual da Bobbi Brown, este livro incrível que recomendo a todo mundo que curte maquiagem, “do iniciante ao profissional”, como o próprio livro diz, e de vez em quando vou postar aqui, de forma resumida, algumas ótimas dicas que venho aprendendo com ele. E a Bobbi Brown dispensa apresentações, né?

Blog Valeu a Compra - Como limpar os pincéis de maquiagem

Vejo muitas dicas, em vários blogs, sobre como limpar os pincéis de maquiagem mas mesmo assim restavam dúvidas. A verdade é que esta tarefa é bem mais simples do que se prega.

Duas necessidades distintas

Uma vez por mês é a frequência com que se deve lavar os pincéis. Quem não os utiliza muito pode lavá-los a cada dois meses. Para fazer isso, coloque uma gotinha de sabonete líquido na palma da mão. Este sabonete deve ser o mais suave de que você já teve conhecimento. A Bobbi usa sabonete neutro infantil (olá, Johnson Baby). Feito isso, esfregue gentilmente o pincel úmido na palma da mão até que alguma espuminha se forme. Enxágue. Preferencialmente em água corrente, com o pincel inclinado mas quase na posição vertical (com as cerdas para baixo, obviamente), sem molhar muito a base de onde saem as cerdas. E jamais (JAMAIS!) mergulhe o pincel em um copo com água. As cerdas são coladas na base do pincel. Sim, com cola. E sim, em todos os pincéis do mundo. Mesmo os mais caros vão começar a perder as cerdas se você deixá-los imersos.

Blog Valeu a Compra - Como limpar os pincéis de maquiagem

Depois do enxágue, aperte um pouquinho a região das cerdas com uma toalha. Ajeite as cerdas com a mão, procurando deixá-las em seu formato natural, e coloque-o para secar na beirada de uma mesa com as cerdas suspensas. Desta forma, as cerdas ficarão em seu formato perfeito, e não achatadas como quando se deixa os pincéis em repouso secando sobre uma toalha.

Blog Valeu a Compra - Como limpar os pincéis de maquiagemPara uma limpeza rápida entre estas higienizações mais completas, os sprays próprios para este uso são a melhor opção (eu uso – e aprovo – o da Etude House). Espirre um pouquinho nas cerdas e esfregue num lenço de papel, simples assim.

E os outros acessórios?

Se você usa esponjas não descartáveis, elas podem ser lavadas inúmeras vezes antes de serem descartadas, também com água e um sabonete líquido suave. Isso vale tanto para as esponjinhas convencionais de espuma (aquelas para aplicar pó compacto, por exemplo) quanto para os aplicadores de precisão.

As pinças para sobrancelhas também merecem cuidados. Com o uso contínuo, elas perdem a precisão. Alguns lugares especializados podem “afiar” as pontas para devolver a precisão. As melhores marcas, como Tweezerman, possuem, inclusive, uma garantia vitalícia que inclui, grátis, esta manutenção sempre que necessária. Se você possui uma pinça “genérica”, o melhor a fazer é substituí-la de tempos em tempos.

Blog Valeu a Compra - Como limpar os pincéis de maquiagem

Fique de olho, também, nos curvadores de cílios. Aquela borrachinha que eles possuem estão ali para proteger os cílios. Quando elas se desgastam, é hora de trocá-las. Observe a borrachinha e veja se a superfície não está mais “lisinha” ou se perdeu o formato curvo. Elas podem, ainda, começarem a cair do acessório. Muitos curvadores vêm com um par adicional destas borrachinhas para troca. Se chegou a hora e você não tem mais um par (ou se não encontra só as borrachinhas para comprar separadamente), troque o curvex todo para evitar quebrar ou machucar seus cílios. E tente manter sempre um par de borrachinhas adicionais à mão. Nunca se sabe quando você pode precisar. ;)

Beijinhos,
Van

Este post não é um publieditorial.

Reblog: desodorante pode causar câncer?

Tradução de parte do texto publicado hoje na Time Health, original abaixo.

Quem assistiu ao Batman de 1989, aquele com Michael Keaton e Jack Nicholson, deve se lembrar que o Curinga aterrorizou Gotham City colocando químicos tóxicos nos cosméticos. Um único item não era letal, mas a combinação de desodorante com xampu e com batom, por exemplo, poderia matar você.

É difícil não pensar no filme quando se recorre a alguns toxicologistas que estudam os riscos dos ingredientes dos desodorantes e antiperspirantes, especialmente parabenos e alumínio. De acordo com o site da Sociedade Americana de Câncer, entretanto, não existe uma conexão “clara” ou “direta” entre parabenos ou alumínio e o câncer. O site do Instituto Nacional de Câncer apenas diz que “são necessárias mais pesquisas”.

O FDA, por sua vez, diz que “até o presente momento não há motivos para que os consumidores se preocupem com o uso de cosméticos contendo parabenos. Mesmo assim, a agência vai continuar avaliando novos dados nesta área. Se o FDA determinar que existe um risco à saúde, vai avisar tanto a indústria quanto o público”.

Mas a “ausência de evidência não é evidência da ausência [de riscos]”, diz Dr. Philip Harvey, editor-chefe do Jornal de Toxicologia Aplicada.

Dra. Philippa Darbre, oncologista no Reino Unido, publicou mais de 30 estudos com achados problemáticos em desodorantes e outros produtos de cuidados pessoais. Ela diz que muitos dos ingredientes a estão preocupando, e os riscos de cada um pode ser ainda maior – e mais difícil de identificar – quando se considera os “coquetéis” complexos que se formam com o uso combinado destes produtos.

Em um de seus experimentos, a combinação entre diferentes parabenos com células humanas criou uma atividade que pode contribuir para o desenvolvimento do câncer. Mas quando se tenta encontrar esta mesma atividade nos humanos (em vez das placas de laboratório), os resultados são inconsistentes. Um estudo de 2002 (links na matéria original em inglês) não encontrou nenhuma correlação, enquanto um novo estudo de 2003 encontrou uma correlação entre produtos usados nas axilas e o câncer de mama. Dra. Darbre diz que ambos estudos apresentam falhas e deixam muitas questões em aberto.

Assim como a Dra. Darbre, Dr. Harvey também deu uma olhada na interação desses cosméticos com o corpo. Ele diz que aplicar estes químicos nas axilas ou um pouco abaixo delas pode fornecer uma rota de exposição quase direta a uma região que contém receptores de estrogênio.

Ambos parabenos e alumínio são químicos “estrogênicos” – o que significa que eles interagem com os hormônios das células e do corpo de uma forma similar ao estrogênio. Isto é especialmente problemático porque o excesso de estrogênio tem um papel importante no crescimento das células cancerígenas, de acordo com o Instituto Nacional de Câncer. Enquanto alguns especialistas em cosméticos dizem que estes parabenos tem uma atividade “fraca” com relação ao estrogênio, Dr. Harvey não concorda e diz que “muitas vezes os parabenos são citados como milhares de vezes menos potentes que o estrogênio, e isso pode estar gerando um engano e escondendo nossa real exposição ao ingrediente”.

(…)

E até que mais dados sejam conhecidos e divulgados, os consumidores estão em um beco sem saída. “Evitar certos químicos que já ganharam publicidade é só a ponta do iceberg”, diz Dra. Darbre, “e o melhor a fazer seria lavar a região das axilas duas vezes ao dia com água e sabão neutro. Isso pode até parecer trabalhoso, mas quando você está preocupado sobre quais produtos químicos esfrega em seu corpo, o banho regular ainda é a alternativa mais atraente”.

TIME

If you’ve seen the 1989 film Batman—the one with Michael Keaton and Jack Nicholson—you’ll recall that the Joker terrorizes Gotham City by slipping toxic chemicals into cosmetics: while no single item is lethal, combining deodorant with shampoo and lipstick could kill you.

It’s hard not to think of that movie while chatting with toxicologists who study the potential risk of deodorant and antiperspirant ingredients, especially parabens and aluminum. However, according to the American Cancer Society’s website, there is no “clear” or “direct” link between parabens or aluminum and cancer. The National Cancer Institute site says “more research is needed.”

The FDA, for its part, says “FDA believes that at the present time there is no reason for consumers to be concerned about the use of cosmetics containing parabens. However, the agency will continue to evaluate new data in this area. If FDA determines that a health hazard…

Ver o post original 562 mais palavras

Testei: kit para cutículas Etude House Help My Finger Cuticle Salon Care

Problema: minhas cutículas são super finas e muito ressecadas (hello, psoríase!?). É um problema tirar (porque para arrancar um “bife” é fácil) e um problema maior não tirar, porque resseca todo o entorno da unha e estraga a manicure.

Já testei várias coisas que não funcionaram bem comigo, até então. Cortar fora a cutícula inteira toda vez (obs: não existe “cutícula inteira” quando ela é extremamente fina); empurrar e cortar só o excesso (resseca mais); empurrar e hidratar um monte com “canetas mágicas de hidratação” para parar de cortar definitivamente; rezar…

Decidi testar este kit depois de ler vários bons reviews sobre ele e porque já conheço outros produtos e confio nesta linha Help My Finger da Etude.

Blog Valeu a Compra - Help My Finger Cuticle Salon Care Kit

O kitzinho é composto por 3 produtos:

  • removedor de cutículas: apesar do nome, não “remove” magicamente a cutícula. Trata-se de um gel transparente que, sim, “amacia” magicamente a cutícula em alguns segundos. E sim, segundos. Tanto que recomendo aplicar e já empurrar delicadamente na sequência, senão ele seca. Sabe aquele processo religioso de aplicar algum creme/amolecedor/água/meleca em cada dedo e esperar 5 minutos (às vezes com uma bola de algodão em cima) antes de cortar os bifes? Então, esquece. É aplicar e já empurrar, instantaneamente, um dedo por vez.
  • “empurrador” de cutículas (como traduzo “pusher”? rs): faz o papel do palitinho. Mas não é de madeira, é de plástico, e um dos lados tem uma pontinha abrasiva de cerâmica, a quem atribuo 50% do sucesso deste kit.

Blog Valeu a Compra - Help My Finger Cuticle Salon Care Kit

  • Blog Valeu a Compra - Help My Finger Cuticle Salon Care Kitóleo cítrico hidratante: pra ser aplicado depois do palitinho, uma gotinha hidrata de verdade. Faço uma massagem rápida sobre a unha para que a pele absorva bem, e a este óleo atribuo 48% do sucesso do kit, ao menos pra mim (2% fica com o removedor, mas tô aqui pensando se não tô sendo injusta, rs). Ele é o responsável por não ressurgirem umas pelinhas secas depois de terminar toda essa parte chata de fazer as mãos.

Já uso este kit há alguns meses e desde então uso muito pouco o alicate de cutículas. Claro que só o óleo, uma vez por semana, não vai garantir hidratação. Mas às vezes me esqueço do hidratante, não uso com a frequência que deveria, e desde que comecei a usar o kit percebi uma melhora com relação ao ressecamento.

Como tudo da Etude House, aprovadíssimo. No site oficial da marca está disponível por 7.50 dólares. Recomendo e comprarei novamente quando o meu acabar. ;)

Beijinhos,
Van

Este post não é um publieditorial.

Uma manicure por 25.000 dólares

Vi este texto uns dias atrás na revista americana Allure e, com mais detalhes, no blog Refinery29 e achei tão bizarro e curioso que resolvi compartilhar aqui.

A rede californiana de salões Images Luxury Nail Lounge “inaugurou” um novo conjunto de serviços de manicure que começam em 500 dólares e podem chegar a 25 mil dólares. Sério. E o salão diz que passou a oferecer estes serviços depois de ouvir os pedidos de algumas de suas clientes. Ou seja, tem demanda (!). A gerente diz que não pode dizer nomes mas que criaram algumas “experiências” a pedidos de algumas clientes que solicitam um serviço exclusivo uma vez por semana.

(Pausa: 25 mil dólares por uma manicure uma vez por semana?)

O que o salão oferece?

Partindo de 500 até 600 dólares, a cliente tem suas unhas feitas e finalizadas com a decoração de pequenos diamantes. Neste caso, o inconveniente, segundo a gerente, é que os diamantes só podem ser aplicados sobre unha acrílica.

De 600 a 2.500 dólares, a cliente tem direito a banho relaxante, massagem corporal e facial, além da manicure incluindo uma nail art com até 20 diamantes.

models-own-gold-rush-couture-gold-nail-polishNa faixa dos 2.500 a 10.000 dólares, a cliente tem direito a todos os serviços da faixa anterior além de ser atendida em uma sala privativa. Aqui, é usado o esmalte Models Own Gold Rush que custa 100 mil dólares por causa de sua tampa incrustada de diamantes. A nail art recebe folhas de ouro de 24 quilates. A cliente recebe alguns mimos como extensão/alongamento de cílios e champanhe.

Por fim, por até 25 mil dólares, a cliente tem o salão fechado exclusivamente para recebe-la. Um joalheiro customiza, na hora, uma joia de diamantes para ser aplicada à sua nail art, pensando no melhor desenho de acordo com o formato da unha. Maquiador e cabelereiro também estão à disposição com seus serviços.

(Pausa de novo…)

O que pensar sobre esta história? É só “curioso” e “bizarro” como mencionei no começo? É estranho, é fútil, é uma injustiça social?

Nem sei o que pensar. Sei que cada um que é dono do seu dinheiro decide o que fazer com ele, é a liberdade, né? Mas um comentário me tocou no artigo do Refinary29, imagine se estas mulheres gastassem 25 mil dólares por semana para fazer a manicure de mulheres pobres que estão desempregadas de tal forma que isso as ajudasse a se apresentar numa entrevista de emprego…

E vocês, o que pensam? Deixe seu comentário.
Van

Este post não é um publieditorial.

100 anos de moda em 2 minutos

Gente, post rápido: passei aqui só para compartilhar com vocês este vídeo INCRÍVEL do canal Mode Glam que resume em 2 minutos como o mundo fashion evoluiu nos últimos 100 anos. Vejam se não é muito amor ♥

Com que época vocês se identificam mais? Tão difícil escolher uma, mas acho que parei em 1995. E vocês? =)

Beijinhos,
Van

Testei: hidrogel Secret Key Gold Racoony para área dos olhos

Mais um produtinho coreano, o Gold Racoony da marca Secret Key é um potinho que vem com 90 mini máscaras feitas de hidrogel, que é um gel aquoso com grande potencial hidratante e cicatrizante, inclusive bastante utilizado na área médica de forma tópica (ou seja, aplicando sobre a pele) para ajudar a cicatrizar feridas.

Valeu a compra - Secret Key Gold Racoony

Valeu a compra - Secret Key Gold Racoony

As máscaras vêm em formatos diferentes, sendo 60 numa espécie de meia lua para serem aplicadas sob os olhos e 30 círculos para serem aplicadas em pontos específicos do rosto que apresentam alguma marquinha, inflamação (de espinha, por exemplo) ou um pontinho mais ressecado que requeira uma hidratação.

Valeu a compra - Secret Key Gold Racoony

As máscaras vêm mergulhadas numa solução feita a partir do extrato de várias plantas calmantes como lavanda, camomila e babosa, por exemplo, e o chá verde, que retarda o envelhecimento celular por ter propriedades antioxidantes.

Valeu a compra - Secret Key Gold Racoony

O Gold Racoony pode ser utilizado 1 vez por semana e cada aplicação deve durar de 20 a 30 minutos. As mini máscaras devem ser aplicadas com o rosto já limpo e após os cuidados diários com a pele, como o hidratante ou tônico, por exemplo. Após retirar o hidrogel, um pouco do hidratante ainda resta na pele, e basta massagear a área até que ele seja absorvido. Não precisa de enxágue.

Como a área ao redor dos olhos possui a pele mais fina, ela acaba sofrendo um pouquinho mais no dia a dia, e a hidratação concentrada nesta região é super bem-vinda. ;) Além da pele mais calma, percebi um certo efeito tensor após o uso, deixando a pele bem lisinha, o que torna o produto excelente para ser utilizado, também, antes de uma maquiagem mais elaborada.

Super recomendo!

Beijinhos,
Van

Este post não é um publieditorial.

Vem por aí: novo estojo de sombras da Urban Decay

No hemisfério norte, várias luxury brands como Chanel, Dior, YSL e Guerlain estão lançando suas novas paletas de cores exclusivas para o verão (de lá) que se aproxima. (Clique no nome de cada marca se quiser ver os lançamentos maravilhosos que NUNCA vão chegar aqui, rs).

Ontem, foi a vez da Urban Decay anunciar a mais nova integrante de sua série Naked. A Naked Smoky estará disponível nas lojas (lá no primeiro mundo, rs) a partir de 8 de julho e (ao que me parece) não necessariamente tem a ver com a onda de lançamentos sazonais que as outras marcas estão seguindo, o que nos dá a esperança de ver o estojo na Sephora alguns meses (anos? rs) depois.

Olha só o teaser:

E aí, o que vocês acharam? Eu ainda não formei opinião… Na verdade, não sei se gostei, haha. Também não sei se ela tem muito a ver com Naked. A minha preferida, por enquanto, continua sendo a Naked 3. E a de vocês?

Beijinhos,
Van

Este post não é um publieditorial.

Demaquilante para uma pele realmente sensível: existe?

Já comentei em alguns posts e no Sobre o Blog que a minha pele é super intolerante. É até difícil de explicar, porque tenho a pele oleosa e sensível, do tipo que fica vermelhinha com qualquer produto, mas ao mesmo tempo ela tem pontos extremamente ressecados por causa da psoríase.

Acontece, então, que encontrar uma maquiagem que funcione (e não irrite demais, porque já me acostumei com um pouco de irritação) é uma luta. Mas uma luta MUITO MAIOR foi encontrar um demaquilante que me servisse. Mas eu achei.

Antes de prosseguir, quero mencionar que já testei MUITOS produtos. Principalmente demaquilantes com os termos “hipoalergênico”, “testado por dermatologistas”, etc, nos rótulos. Marcas caras e baratas, importados e nacionais, marcas queridinhas e aquelas não tão conhecidas.

O demaquilante bifásico da Lancôme foi o que usei por mais tempo (antes da solução atual), mas ele ainda irritava um pouco, principalmente a região ao redor dos olhos. Resolvi, então, falar com um dermatologista e também com um oftalmologista. E cheguei na solução.

Para o rosto, exceto área dos olhos, passei a usar o Hydrabio H2O Micelle Solution, da Bioderma. A Bioderma é uma empresa farmacêutica francesa que foi criada em 1977 e cujos dermocosméticos são voltados para condições específicas de pele e cabelo. O demaquilante que uso é do frasco azul, voltado para peles sensíveis desidratadas.

Valeu a compra - Bioderma

O único problema é que é um tanto difícil achar o produto para comprar por aqui ou, mesmo quando se acha, ele é um tanto caro. Quando preciso, compro no site www.cosme-de.com e, mesmo com imposto, acaba valendo à pena. O frasco de 250ml custa 25 dólares e rende/dura demais.

Mas, para a área dos olhos, mesmo o Bioderma não foi a melhor opção. Meu oftalmologista receitou então o Frex Clean (gente, parece que escrevi o nome errado mas é Frex mesmo, com “r”, rs) da farmacêutica Allergan. A embalagem vem com 100 gazes esterilizadas para serem utilizadas com a espuminha que sai do frasco em spray.

Valeu a compra - Frex Clean

Ele é excelente, perfeito! Remove com muita facilidade até as máscaras à prova d’água mais difíceis e mesmo se o produto entrar um pouquinho nos olhos, não arde. E é fácil encontrá-lo nas grandes redes de farmácias por mais ou menos 50 reais. O único inconveniente é que, diferente do Bioderma (e da maioria dos demaquilantes), o Frex Clean precisa de enxágue. Mas perto do que já sofri com demaquilantes, dos males o menor. ;)

Por hoje é isso!
Beijinhos,
Van

Este post não é um publieditorial.