Será o fim da rotina coreana dos 10 passos de cuidados com a pele?

Recentemente, o termo skincare diet – a dieta dos cuidados com a pele – ganhou força na Coreia do Sul principalmente entre os millennials que são contra empilhar 10 produtos sobre a pele (ou 6, ou 7, ou qualquer número acima de 3).

Liah Yoo, estrela do YouTube e fundadora da marca KraveBeauty que segue a proposta do minimalismo, diz que as pessoas vinham misturando tantos produtos diferentes na pele que desenvolviam vermelhidão, sensibilidade ou alguma coisa ainda pior. Em seu canal, Liah conta sua própria experiência (ruim) com tantos passos e produtos e como isso a motivou a criar a KraveBeauty.

Dermatologistas apontam que misturar tantos ingredientes deve, sim, causar uma preocupação válida em desenvolver uma irritação na pele – na melhor das hipóteses. Existem alguns exemplos clássicos que resultam em queimação e vermelhidão, como misturar retinol com algum antioxidante potente como a vitamica C. Outras misturas “proibidas”, no entanto, são mais sutis.

A questão principal é: se você está seguindo a rotina de n passos e está usando com disciplina n produtos e não está vendo resultado, a dieta dos cuidados com a pele pode te ajudar.

Do que se trata a dieta de cuidados com a pele?

Dermatologistas na Coreia do Sul passaram por uma onda de casos de sensibilidade e vermelhidão e começaram a indicar a seus pacientes que voltassem para o básico. Mais passos e mais produtos nem sempre é o melhor a se fazer.

O básico recomendado, no caso, era o uso de um gel de limpeza e de uma loção hidratante leve. Durante o dia, acrescenta-se o protetor solar. Só.

As cantoras de k-pop Hani e GaHyeon são alguns exemplos de celebridades que surpreenderam em suas entrevistas quando disseram ser adeptas da skincare diet. Sem tônicos, sem esfoliantes, sem serums. Jae, da banda Day6, até tuitou a repeito:

 

Minha opinião

Eu super segui a rotina de 10 passos por alguns anos (inclusive o Valeu a Compra foi o primeiro blog em português a trazer o passo a passo todo explicadinho lá em 2015) mas questionava algumas coisas na minha cabeça. Exemplos: se o tônico restaura o pH da pele ainda preciso dele ao usar um sabonete já com pH levemente ácido, próximo ao da pele? Sinto que uma loção leve hidratante já está dando conta da hidratação do meu rosto, ainda preciso de um creme ou óleo mais consistente, e de uma máscara, e do sleeping pack?

Confesso que nunca tive nenhum problema de vermelhidão ou irritação ou sensibilidade com os produtos que escolhi (apenas um parênteses aqui: usei a espuma de limpeza de ácido salicílico e o tônico de AHA da CosRx e foram os únicos produtos que nunca funcionaram na minha pele – que é mista. Eu aplicava na zona T, mais oleosa, mas eles ressecaram demais meu rosto. Talvez em peles mais jovens funcione melhor), mas o maior problema da rotina de 10 passos, pra mim, é justamente a disciplina. Segui à risca por um tempo grande, mas acabei negligenciando outros aspectos como a hidratação do corpo ou dos cabelos.

Se você vive numa correria, trabalha e estuda, cuida da casa, prepara sua alimentação, enfim, se você é uma brasileira normal, rs, a skincare diet pode ser uma mão na roda de cuidados com a pele, agora com aval do país que mais entende de pele no mundo. Que bom, nem precisamos ficar com peso na consciência.

As mudanças que fiz em minha rotina

Tô fazendo o seguinte: eu uso a limpeza à base de óleo apenas nos dias em que uso maquiagem (que não é todo dia), a limpeza com espuma continua normal, tônico não uso mais, e sigo usando a essence e o sérum da linha Time Revolution da Missha que, pra mim, é indispensável. Eu fiquei um tempo sem usar estes 2 produtos e, quando voltei, apenas com uns 2 dias de uso a pele já estava lisa e brilhando. Como o sérum é hidratante, à noite não uso quase mais nada. Quase porque uma ou duas vezes por semana uso o sleeping pack de avocado da Glow Recipe. Pela manhã, hidratante com cor e proteção solar da Laura Mercier ou a Essence Cushion da Missha nos dias mais quentes.

Uma coisa que eu já tinha abolido são as máscaras de hidratação de uso único. Eu adorava, e elas dão um boost de hidratação mesmo. Mas percebi que as sleeping packs tem o mesmo poder hidratante sem produzir tanto lixo. Coreia e Japão são super avançados em seus tratamentos de lixo. Mas o Brasil… imagina todo mundo aqui usando uma máscara diária…

É isso. Quem diria que eu escreveria alguma coisa contra os 10 passos algum dia, mas minha intenção com blog sempre foi jogar limpo. Não me xinguem, apenas mudei um pouquinho de opinião. =D

Bjos, Van

Vamos falar sobre sleeping packs

Há muito tempo atrás eu comentei sobre as sleeping packs ou sleeping masks em um velho post. Mas não fiz nenhum post dedicado só a elas, então vamos lá.

Sleeping pack (ou mask, dependendo do fabricante) é uma máscara hidratante pra usarmos durante o sono. Mas não é daquelas máscaras de uso único feitas de poliéster/tecido/gel que você aplica no rosto, relaxa uns 20 minutos e remove. Também não é máscara pra botar no olho e dormir na escuridão.

Máscara pra dormir em seda pura luxuosíssima da Slip – um exemplo DO QUE NÃO É sleeping pack

A sleeping pack nada mais é do que um hidratante normalmente numa textura em gel, que deve ser aplicado em abundância no rosto, espalhado, e então ele é absorvido e não deixa excessos (tá, alguns deixam um pouco, mas pela manhã é só lavar o rosto e retomar sua rotina de cuidados). Aí você pode me perguntar: mas se é um hidratante “comum” pra que gastar com isso? Acontece que não é um hidratante comum, só parece.

Primeiro, que ele tem uma concentração alta de ingredientes umectantes apesar de sua textura normalmente parecer leve. Se você não sabe o que é um hidratante umectante, eu falei sobre ele neste outro post. Segundo, que durante o sono, quando a divisão celular aumenta, é o momento ideal fornecer nutrientes e vitaminas para as células, e esses cremes costumam ser bem nutritivos.

Várias marcas, inclusive muitas ocidentais, já estão com este produtinho no portfolio. Quer saber minhas recomendações? A Panda’s Dream White Sleeping Pack da TonyMoly foi a melhor que eu já usei. A Water Sleeping Mask  da  Laneige é uma queridinha entre famosos e não-famosos, campeã de vendas e agora tem uma versão nova de Cica (ingrediente queridinho do momento, vou fazer um post sobre isso) e já existe há um tempo uma de lavanda (que, de quebra, deve ajudar a relaxar e dormir, rs). A Glow Recipe (ok, a marca não é coreana mas foi fundada por coreanos) tem duas, uma de melancia e uma de avocado que foi lançada recentemente e ambas são maravilhosas. Mas a marca não entrega aqui. Eu enlouqueci em um kit deles que vinha a máscara e uma – rá! – máscara de dormir, agora sim, pra cobrir os olhos e mergulhar na escuridão, e acabei comprando na Sephora gringa e pedindo pra entregar por um shipping service. O que não vale muito à pena então nem vou dar maiores detalhes aqui…

Como/quando usar?

Você aplica no rosto como último passo de sua rotina. Se você faz sua rotina noturna logo ao se deitar, pode pular o hidratante convencional e aplicar somente a sleeping pack. Se você faz sua rotina noturna mais cedo e leva um tempo até dormir, proceda normalmente com sua rotina (e com seu hidratante) e só antes de ir para a cama aplique a sleeping pack no rosto.

Pela manhã, lave o rosto para remover os resíduos.

Aplique uma ou duas vezes por semana (eu aaaaaaamo sleeping pack, sou a louca da sleeping pack, então praticamente substituí quaisquer outras máscaras de hidratação por isso e uso quase que dia sim, dia não, rs).

E aí, você já aderiu à alguma sleeping mask? Me conta!

É isso. Bjos, Van